Publicidade
Botão de Assistente virtual
Opinião Opinião

Em alerta pelo norovírus

Não bastasse o coronavírus pairando pela região, agora tem mais esta ameaça gastrointestinal nada nova para se ficar alerta

Por Guilherme Schmidt
Publicado em: 13.10.2021 às 10:00

 Após mais de um ano e meio de pandemia da Covid-19, as pessoas já não aguentam mais falar em vírus. Mas, depois do já nem tão novo coronavírus, a região vive em meio ao surto do norovírus, que causa doenças gastrointestinais (principalmente diarreia e vômito) e nada tem de novo, já que foi nomeado há 50 anos.

Já foram registrados casos em várias cidades da região, sendo em maior número (surto) em Esteio e Dois Irmãos, segundo boletim do Estado emitido na última sexta-feira.

Prevenção

Parece que após um ano de pandemia alguns cuidados já estão sendo deixados de lado, já que um dos motivos da transmissão do norovírus é a possível falta de higienização das mãos e alimentos.

Foco na água

Mas, segundo o mesmo boletim, a maior causa pode ser a ingestão de água contaminada. Por isso é preciso evitar água de fontes não potáveis.

Alerta

No alerta emitido pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) do RS, chama a atenção que o norovírus pode apresentar resistência às concentrações de cloro aplicadas na água tratada previstas na legislação de potabilidade.

Resistência

Segundo a especialista em saúde do núcleo de Doenças de Transmissão Hídricas e Alimentares do Cevs, Lilian Borges Teixeira, o aumento de resíduos orgânicos na água pode fazer com que o vírus resista ao tratamento químico previsto.

Multivacinação

A campanha que disponibiliza pelo menos 18 tipos de vacina em postos de saúde teve 41 mil crianças e adolescentes vacinados no Estado na primeira semana. Desse número, 23 mil tinham alguma dose em atraso.

Agende o Dia D

No sábado (16), a multivacinação deve ocorrer em postos municipais de toda a região.

Carroças

Um leitor relata que algumas carroças seguem circulando pela área central leopoldense, apesar de, desde agosto, isso ser proibido.

Nos lixos

O problema é social. Com o aumento da miséria, muitas famílias de carroceiros peregrinam nas lixeiras e descartes nas ruas da cidade em busca de materiais recicláveis para venda e até de restos de alimento. Uma triste realidade trazida pela crise e a pandemia.

Pontes litorâneas

Sobre o avanço da construção de nova(s) ponte (s) ligando Tramandaí e Imbé, o prefeito de Imbé, Ique Vedovato, destacou: “saímos dessa viagem (a Brasília - confira matéria na página 2 do Jornal VS desta quarta-feira, 13 de outubro) otimistas que conseguiremos fazer com que essa ponte finalmente saia do papel”. Sem dúvida, uma obra muito aguardada e muito importante na ligação do litoral norte gaúcho. Ninguém aguenta mais a tranqueira do veraneio por causa da passagem única pela velha Ponte Giuseppe Garibaldi.

O preço e o desconto

Muitos postos de combustíveis, devido alto preço da gasolina, têm colocado, novamente, o preço com desconto através de apps ou promoções em destaque, ao invés do preço normal. Isso confunde o consumidor e pode até causar constrangimento ou discussões na hora de pagar.

Infração

Vale dizer que esse “jogo” nas placas de preços dos combustíveis é passível de notificação, multa e até fechamento do local, conforme determinações do Código de Defesa do Consumidor.  


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.