Publicidade
Opinião Artigo

Não suporto tanto sentimento de posse

Por Cris Manfro
Publicado em: 26.09.2020 às 08:00 Última atualização: 26.09.2020 às 08:45

Se você não tem confiança em você mesmo pode estar correndo um grande perigo nos seus relacionamentos: O de ser um controlador (a), um possessivo (a). Geralmente a controladora tem feridas muito antigas, que independente do outro se sente insegura e carente, com um medo enorme de ser abandonada e passada para trás. A estima de um possessivo é muito baixa. No fundo, não acredita e não se vê merecedor de ser amado ou, em contrapartida, é egocêntrico e quer que as coisas funcionem como ele quer, com todas as atenções voltadas para ele. Geralmente isso leva a pessoa a se tornar grudenta, queixosa, sufocante e, quando o outro reclama ou se afasta, a pessoa possessiva não entende, afinal quer dar e demonstrar amor. Não confundam carência ansiosa com manifestação de amor. A carência ansiosa afasta e não aproxima o outro.

O possessivo pode se tornar muito egoísta e manipulador, mas isso porque entra em desespero ao pensar que pode perder ou ser rejeitado. Você identifica um controlador ou uma possessiva já no início de uma relação em coisas simples, como querer controlar as amizades, mas muitas pessoas têm a fantasia de que irão "domesticar" seus parceiros e fazê-los ser e agir como o sonhado. Grande engano, porque logo têm a sensação, quando encontram o parceiro ansioso, de estar numa máquina de detector de mentiras. Em casos extremos e tóxicos, a pessoa faz checagem nas redes sociais, no celular, sempre com o intuito de "pegar" algo. Isso precisa ter limites, porque é enlouquecedor para ambos.

Se você está nesse sofrimento por ser um controlador, reflita sobre quais feridas doem em você para que veja tudo com um olhar e sentimento tão ameaçador. Não se torne o seu pior inimigo com percepções, pensamento e interpretações negativas que só fazem sofrer. O que leva você a ser tão descrente de você, do seu parceiro e da sua relação? Lembre-se que o outro depender de você não significa amor e que o sentimento de dependência sempre gera peso em ambos. Quanto mais você ficar vigiando seu parceiro, menos cuidará de você, da sua autoestima e da sua confiança.

Você tem um parceiro ou uma parceira possessiva? Então busque fazer coisas que acalmem o outro. O outro vive um inferno dentro da própria cabeça. Procurem conversar para buscar entender o porquê de tanto medo e ansiedade. Faça isso com paciência, sem "bufar" pelo outro estar sendo intrusivo. Faça com compaixão por entender o sofrimento de ambos. Muito diálogo aberto sobre o que vocês sentem pode acalmar e aproximar. A cobrança, queixa, crítica vai afastar. Não coloque os pés pelas mãos pelas inseguranças. Caso você não esteja conseguindo resolver, procure ajuda, porque nem sempre o parceiro tem como suportar tamanha pressão e desconfiança. Pode pesar tanto que o outro verdadeiramente vai embora, não por falta de amor, mas porque você se tornou insuportável.

 


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.