Publicidade
Opinião Opinião

Amor precisa ser esgotado dentro de você

Por Cris Manfro
Publicado em: 05.09.2020 às 09:00 Última atualização: 05.09.2020 às 09:18

Não adianta pensar que ao terminar uma relação está tudo acabado e resolvido. Hoje em dia as pessoas, em época de amores passageiros, costumam achar estranho quando uma pessoa custa a encerrar uma história amorosa que não esteja dando certo, ou já tenha encerrado. Vou lhes dizer que amor precisa ser esgotado, exprimido, esvaziado, desaguado, chorado, torcido dentro da gente até a última gota para que ele possa acabar. Principalmente quando não se está esperando um término. Quanto mais você tenha investido e regado dentro de você esse amor, quanto mais ele tenha crescido, mais difícil será para encerrá-lo. É luto.

Quem já levou um fora daqueles e se sentiu otário, burro e idiota por ter insistido pelo seu amor, escutou ou disse essas frases: "Eu me humilhei, implorei pra ficar, e fui à procura dele (a), fiquei me sentindo muito mal, a última das pessoas." Porém, escute bem, em se tratando de amor, qualquer coisa que você chame de humilhação vale a pena. Claro que dentro de limites. Não dá para levar uma vida à procura ou à espera do que você não vai ter. Mas, para encerrar um relacionamento, o amor precisa ser esgotado, também nas tentativas e na disposição interna. É preciso dizer aquele basta primeiro dentro da gente. Dá para começar pelo exterior, mas sempre é mais difícil.

Lembro de um livro onde o personagem lutou bravamente pelo seu amor durante quase todo o livro, e eu mesma estava cansada de tanto sofrimento e impaciente com a paciência do personagem, até perceber que ele é que precisava sentir quando deveria desistir daquele amor. Não adiantava os amigos, os pais dela e ela própria falar que tinha acabado. Era preciso a voz interna dele dizer: Chega! Ele precisava dizer que o amor que havia dentro dele havia esgotado!

 

Amores que você tem a sensação de que ficaram pela metade são os mais difíceis de serem esquecidos. Onde você sente que estava no meio do caminho e achava que estava tudo bem. Onde você tinha planos e pensava em realizar tantas coisas. Planos para o natal, férias e o que comprariam quando se formassem. Ou aqueles casais que tinham planos de curtir tanto a vida agora que as "crianças" de 30 anos já tinham saído de casa. Tantas coisas por fazer, que não pode acabar agora. A sensação é que o tempo, independente da cronologia, não foi suficiente.

Somente espremendo o amor como um limão, apesar da dor e do amargo, é que você poderá se sentir tranquilo e liberto. Não precisará tempo depois, lá na frente, perguntar-se: E se? E se naquela época tivesse feito isso ou aquilo? Tenha atitudes agora pelo seu amor, sem ter vergonha, e esgote a sua própria paciência. A estima se abala muito mais pelas coisas que não tentamos. Mesmo não dando certo, é muito bom saber que você fez a sua parte, mas observe o seu limite.


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.