Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | São Leopoldo SÃO LEOPOLDO

Projeto Amor ao Próximo completa dois anos servindo mais do que refeições

Iniciativa que distribui almoços na Justo faz aniversário e planeja ações

Por Priscila Carvalho
Publicado em: 13.05.2022 às 03:00 Última atualização: 14.05.2022 às 14:17

Driblando dificuldades, buscando parceiros e engajando a comunidade para ajudar as famílias carentes. Foi assim que um projeto social nasceu, ainda no auge da pandemia, e foi ganhando corpo na Cohab Duque de Caxias. Hoje, o Almoço Comunitário Amor ao Próximo comemora seu crescimento já pensando em agregar ainda mais.

Voluntários comemoraram 2 anos do projeto com bolo de aniversário
Voluntários comemoraram 2 anos do projeto com bolo de aniversário Foto: Diego da Rosa/GES

Inspiração

Um dos idealizadores do projeto, o metalúrgico Vanderlei Ismael flores, 39 anos, conta que a ideia surgiu baseada no Almoço Humanitário, iniciativa semelhante que ocorre no bairro Santos Dumont. "Conhecendo eles, eu perguntei o que precisava para trazer o projeto para a Zona Sul, pois aqui não havia nada nesse sentido", comentou ele, que procurou o pastor Edson Ramiro, de uma igreja do bairro, para falar sobre a ideia e começar a execução dela pela região.

"Fizemos ação beneficente, compramos um fogão industrial, panelas, utensílios que precisávamos e começamos a fazer lives para pedir doações. Não tínhamos um local, mas não íamos deixar de fazer. Então, começamos a fazer na casa da minha irmã. Confeccionava o almoço lá e, às 11h30, vinha para o final da Avenida das Américas, colocava as marmitas e distribuía para as pessoas", relatou.

100 almoços diários

Mais tarde, por meio da boa ação de um morador do bairro, o projeto se desenvolveu ainda mais. Porém, houve a percepção de que os almoços precisavam chegar mais perto de quem era atendido. Por isso, nova mudança foi necessária. "Fazíamos na Rua Nereu Ramos, na casa do Tio Beto, que nos cedeu esse espaço. Mas como vimos que 90% das pessoas que buscavam eram da Ocupação Justo, falamos com o Fábio sobre levar para lá e ele prontamente cedeu o espaço", detalhou Vanderlei, sobre a parceria de Fábio Simplício, liderança comunitária da Cooperativa Alto Paraíso, que fica na ocupação.

“Se não são eles, a gente passaria necessidade”

Há cerca de 20 dias, o projeto passou então para a sede da cooperativa, onde é servida uma média de 100 almoços, de segunda a sexta-feira, a partir das 11 horas. As pessoas interessadas podem comer no local ou trazer uma vasilha para levar a refeição para sua família, em casa. 

Um dos beneficiados é Edson da Silva, 58 anos. Desempregado, ele conta que as refeições oferecidas pelo projeto fazem a diferença na comunidade. “Pra nós, o Almoço Comunitário é muito importante. Se não são eles, a gente passaria necessidade, teríamos que ir para outro lado, onde muitos vão quando não têm recurso, porque a fome é muito triste”, disse, agradecido pela ajuda da iniciativa. 

Na quarta-feira (11), o projeto completou dois anos de existência e, para comemorar, um bolo foi oferecido entre os voluntários que ajudam a fazer as refeições todos os dias.

Para Edson da Silva, as refeições servidas fazem a diferença
Para Edson da Silva, as refeições servidas fazem a diferença Foto: Diego da Rosa/GES

Projeto visa também interação entre a comunidade

Liderança comunitária do local, Fábio Simplício destaca a importância do projeto para a Ocupação, onde residem cerca de 200 famílias que precisam de ajuda. "A briga contra a fome é indispensável, necessária", colocou, lembrando que a cooperativa também serve sopão nas noites de quarta. "Chegamos a fazer mais de 600 porções de sopa numa quarta-feira, nesse tempo de pandemia", disse.

No Almoço Comunitário, porém, Fábio ressalta que o objetivo agora aumentou e não é somente servir almoços. "A gente vê que tem uma necessidade deles aprenderem a conviver mais, interagir mais, se conhecer. É importante que além de vir pegar refeição, eles troquem ideia e conversem. Estamos tentando que eles venham almoçar aqui, mas é difícil, porque só o motivo de vir pegar o almoço já dá uma certa vergonha, alguns ficam constrangidos", revela. "Vimos que temos que dar um passo a mais para trazer mais objetivo à nossa ação", completou.

Continuidade foi importante

Acompanhando o projeto desde o início, o pastor Edson Ramiro recordou as dificuldades que a ação precisou superar para se estabelecer. "Pra mim é um orgulho ter começado. Naquele momento, era muita gente passando fome. E nossa ideia não era pegar o morador de rua, mas o pai de família, que de repente estava constrangido dentro de casa, por não ter o que dar pros seus filhos", ponderou, estimando que foi importante não desistir e estimando ainda mais crescimento.

"O importante é a continuidade, porque se tivéssemos parado na dificuldade não estaríamos aqui."

Toda ajuda é bem-vinda

Voluntárias ajudam a fazer e servir os almoços, de segunda a sexta-feira
Voluntárias ajudam a fazer e servir os almoços, de segunda a sexta-feira Foto: Diego da Rosa/GES
O cardápio, oferecido de segunda a sexta-feira, sempre conta com arroz, feijão, galinha com molho e massa ou polenta. "A gente precisa muito de doações. Gastamos cerca de 40 quilos de arroz por semana, 20 quilos de feijão, 20 quilos de frango, e mais a massa, o azeite", justifica Vanderlei. "Estamos à disposição. Se precisar, a gente vai buscar. Se alguém quiser conhecer o projeto, pode vir aqui. Estamos sempre precisando de doações, de ajuda, de voluntários."

Interessados em conhecer o projeto ou fazer doações, podem entrar em contato com Vanderlei, pelo telefone (51) 99894-1235, ou com Fábio, pelo (51) 99526-7819, ou ainda acessar a página da ação no Facebook 'Almoço Comunitário Amor ao Próximo'. A cooperativa Alto Paraíso fica na Rua Ermelindo Varnieri, 260.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.