Publicidade
Notícias | São Leopoldo Homenagem

Dezenas de veículos acompanham a carreata de Padre Reus, em São Leopoldo

Evento, forma adaptada da 15ª Romaria de Padre Reus, ocorreu na manhã deste domingo, passando por várias ruas e avenidas leopoldenses

Por Priscila Carvalho
Publicado em: 11.07.2021 às 14:45 Última atualização: 11.07.2021 às 15:01

Muito emocionada, a dona de casa Ângela Rocha, 58 anos, segurava um quadro com a imagem de Padre Reus, enquanto acompanhava a carreata em homenagem a ele passar pela Avenida Theodomiro Porto da Fonseca, em São Leopoldo, na manhã deste domingo (11). Moradores do bairro Rio dos Sinos, ela e o esposo, Marco Aurélio Cruz, 54, são devotos do pároco e se deslocaram até próximo ao Hospital Centenário para agradecer por graças alcançadas. “Nós somos muito gratos a ele, por muitas coisas boas que ele nos proporcionou, principalmente, na saúde. Esse ano, pegamos Covid, tivemos sintomas graves, e, sempre com muita fé, conseguimos nos curar, graças a Deus e a ele”, disse Ângela.

Muito emocionada, Ângela Rocha segurava um quadro com a imagem de Padre Reus, enquanto acompanhava a passagem da carreata, junto com o marido Marco Aurélio Cruz Foto: Inezio Machado/GES

“Esse quadro era da falecida vó do meu marido. Peguei para mim e hoje falei para meu marido ‘vamos levar para o padre dar uma benção’, que daí ele vai ter mais importância ainda para nós. Nós temos muito o que agradecer a ele”, completou a devota.

20 ruas e avenidas

Por conta da pandemia, pelo segundo ano seguido, a Romaria de Padre Reus – que chegou a sua 15ª edição – foi adaptada, transformando-se em carreata, com a imagem do pároco sendo levada em carro aberto pela cidade. Dezenas de veículos, enfeitados com bandeirinhas em alusão à ação, participaram da celebração, que teve saída da frente do Santuário do Sagrado Coração de Jesus – onde está o túmulo de Padre Reus – e passou por 20 ruas e avenidas da cidade, percurso que durou cerca de uma hora e meia. Pelo caminho, fiéis esperavam para agradecer e pedir bençãos.

Uma parada especial foi feita em frente ao Hospital Centenário, onde o padre Resende fez uma oração pelos pacientes internados e os profissionais de saúde que atuam na instituição.

Em frente ao Hospital Centenário, carreata fez uma parada especial e padre Resende pediu por pacientes e trabalhadores Foto: Inezio Machado/GES

Pedalando

Jeane Silveira e Alan Régis de Melo participaram pedalando Foto: Inezio Machado/GES
O casal de ciclistas Jeane Silveira, 43 anos, e Alan Régis de Melo, 42, sempre participa das ações do Santuário, como a colheita da marcela e as edições da romaria. Esse ano, eles também estiveram na carreata com suas bicicletas. “Ano passado não viemos, porque a pandemia estava mais forte, mas esse ano decidimos vir. Viemos de Gravataí até aqui pedalando para participar da carreata”, contou Jeane.

Junto com a mãe Tainah Aguiar, 38 anos, e com as bandeirinhas de Padre Reus em mãos, os pequenos Pedro, de 4 anos, Layna, 6, esperavam a carreata passar em frente a casa deles, na Avenida John Kennedy, para encontrar o avô e participar de dentro do carro com ele. A família é devota do pároco e procura sempre participar da romaria, além de visitar o Santuário. “Vamos toda semana lá”, relatou Tainah.

Tainah Aguiar e os filhos Pedro, 4, e Layna, 6, esperavam a passagem da carreata na frente de casa Foto: Inezio Machado/GES

Relatos de graças

Moradora do Centro, a aposentada Rosemarie Foernges, 69, resolveu aguardar a carreata na Avenida Imperatriz. Sozinha, ela olhava o jornal para se certificar do percurso da ação, enquanto aguardava a imagem de Padre Reus passar. “Eu já ouvi muitas vezes, muitos relatos de pessoas que alcançaram graças por ele. Gosto de ir no Santuário, porque é um lugar de muita espiritualidade, a gente se sente bem lá”, comentou. “Hoje, em especial, estou pedindo uma graça em nome do meu filho, que está fazendo um concurso”, acrescentou, enquanto erguia as mãos em direção à imagem do pároco.

Rosemarie Foernges pediu uma graça em nome do filho Foto: Inezio Machado/GES

“Sinal de devoção e carinho a Padre Reus”

Ao final da carreata, de volta à frente do Santuário, o reitor do local, padre Raimundo Resende, ofereceu bençãos aos veículos participantes. Ele sublinhou que no ano passado a proposta da carreata foi diferente, por conta da gravidade da pandemia. Esse ano, com a segunda edição do ato, ele avaliou que a adesão foi maior. “Foi extremamente positivo e compensador. A equipe do Santuário se empenha, organiza, e o povo corresponde. Sinal de devoção e carinho a Padre Reus”, destacou.

Padre Resende abençoou os veículos participantes, ao final da carreata Foto: Inezio Machado/GES


Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.