Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região MAIS COBRANÇAS

Granpal também busca solução com o Estado para a alta demanda hospitalar

Prefeitos da região metropolitana querem alternativa para a superlotação em leitos, falta de insumos e discutem centros de referência

Publicado em: 27.05.2022 às 22:40 Última atualização: 28.05.2022 às 09:41

Um dia após os prefeitos do Vale do Sinos irem até Porto Alegre em busca de propostas do governo estadual para a fila de espera por especialidades médicas e falta de mão de obra e insumos para a saúde, foi a vez dos prefeitos da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal), lideradas pelo presidente da entidade e prefeito de Nova Santa Rita, Rodrigo Batisttella, se articularem e apresentarem suas demandas para a secretária Estadual da Saúde, Arita Bergmann.

Reunião aconteceu nesta sexta-feira (27), na sede da SES
Reunião aconteceu nesta sexta-feira (27), na sede da SES Foto: Granpal

O encontro realizado nesta sexta-feira (27), foi balizado pela superlotação em leitos clínicos adulto e pediátrico e a falta de insumos para os hospitais das cidades metropolitanas. “Nosso intuito é criar uma agenda de cooperação entre as prefeituras e a gestão estadual para enfrentarmos esse problema da superlotação das emergências”, explicou Batisttella.

Os representantes de cada município falaram sobre a condição hospitalar de sua cidade e questionar sobre possíveis mudanças de referência. O próprio secretário de Saúde de Canoas, Eloir Antônio apontou que hoje o município é referência para 156 municípios, um número extremamente alto. A própria Granpal deverá promover um encontro entre as secretarias municipais de saúde da Região Metropolitana para debater uma possível redefinição dos centros de referência.

O grupo ainda pediu a para a secretaria estadual um acompanhamento mais atento para a falta de insumos apontados por algumas instituições. Conforme apontado na reunião, a questão dos insumos está sendo acompanhada pela diretora do Departamento de Gestão da Atenção Especializada da Secretaria Estadual de Saúde, Lisiane Fagundes. Ela sugeriu um monitoramento, parecido com o que é feito para os kits de intubação, para os insumos de forma geral. “É necessário ter o quantitativo da falta para pedir o auxílio do Governo Federal”, pontuou a secretária Arita.

A secretária pediu ainda um levantamento junto às secretarias municipais de saúde sobre o número de leitos contratualizados do Estado e a possibilidade deles serem disponibilizados para atendimento clínico. A associação sinalizou que buscará auxiliar no aumento de capacidade de leitos.

O encontro ainda debateu a responsabilidade conjunta sobre as campanhas de vacinação, já que os índices de adesão estão baixos. O pedido desta vez foi feito pela representante estadual aos prefeitos por campanhas de incentivo “Estamos lidando com uma situação respiratória grave, mas temos de atuar também na prevenção”, afirmou Arita.

Estiveram presentes no encontro os secretários municipais de saúde dos municípios: Mauro Sparta, de Porto Alegre; Eloir Antônio e a adjunta Ana Paula Macedo, de Canoas; Clóvis Schmitz, de Nova Santa Rita; Gilson Abreu, de Esteio; e a adjunta de Taquari, Etiene dos Santos. Participaram ainda o diretor de assistência hospital de Porto Alegre, Francisco Isaias; a diretora de regulação da capital, Denise Tessler; e a diretora administrativa do Hospital São Camilo, em Esteio, Ana Regina.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.