Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região SÃO LEOPOLDO

Muita diversão e piscinas para ajudar a refrescar

Projetos, como na Ammep, oportunizam oficinas especiais de verão para crianças e adolescentes

Por Priscila Carvalho
Publicado em: 26.01.2022 às 03:00 Última atualização: 26.01.2022 às 10:16

Em época de férias escolares e de muito calor - até fora do comum, como o registrado nas últimas duas semanas -, a rotina buscada por crianças e adolescentes é uma só: a diversão. Se for com os amigos, num espaço familiar e com brincadeiras na água, então, fica ainda melhor. É isso que algumas instituições que atuam no contraturno escolar oferecem para seus jovens educandos neste período. As oficinas de verão fazem muito sucesso entre eles e ajudam a manter o contato, que fica mais difícil longe das atividades diárias.

Na Ammep, oficina de verão oferece piscinas para educandos duas vezes por semana
Na Ammep, oficina de verão oferece piscinas para educandos duas vezes por semana Foto: Diego da Rosa/GES

Na Associação Meninos e Meninas de Progresso (Ammep), por exemplo, é o que acontece. A entidade, localizada no bairro Santos Dumont, atua como serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, com oficinas para seus 260 educandos, dos 6 aos 18 anos incompletos. Nos meses de verão, porém, a atividade principal muda e todo mundo vai curtir na piscina.

Rio

Coordenadora da Ammep, Fabiane Bernardo da Silva explica que o projeto de férias nasceu há sete anos, idealizado pelos profissionais que formam uma gestão compartilhada na instituição. "Primeiramente, estamos muito próximos ao rio. No passado, nossas crianças deixavam de vir nessa época para irem com suas famílias para o rio, o que é muito perigoso. Já perdemos familiares e até adolescentes no rio. Então, pensamos em colocar duas piscinas", justifica.

"Foi um sucesso! Hoje temos seis piscinas e ainda estamos pensando em adquirir mais duas, para cada vez dar mais qualidade para eles", pondera.

100% de presença

Nesse ano, a oficina iniciou no dia 11 de janeiro e seguirá até o dia 15 de fevereiro, sempre às terças e quintas-feiras, em dois turnos, manhã e tarde. Nos dias em que não há piscina, é feito o tratamento e limpeza da água, para evitar desperdício em época de estiagem. "Hoje nos encontramos com 100% de presença. Um sucesso total. E o interessante é que eles vem terças, quartas e quintas para cá. Na quarta, único dia que não tem piscina, pensamos que poderia dar uma evasão, mas não. Eles vêm, fazem atividades na praça, nos espaços de jogos e respeitam que não pode entrar na piscina, porque a água está sendo tratada", destaca Fabiane.

Brayan Micael Souza Bueno, 11 anos, é um dos educandos que estão aproveitando a oficina de verão da Ammep
Brayan Micael Souza Bueno, 11 anos, é um dos educandos que estão aproveitando a oficina de verão da Ammep Foto: Diego da Rosa/GES

Atividade diminuiu a distância dos educandos

As piscinas infláveis foram adquiridas através do Fundo Municipal da Criança e Adolescente de São Leopoldo e, também, por meio de doações. Cada piscina recebe crianças de determinadas faixas etárias e educadores sempre acompanham a atividade, para evitar acidentes. Assistente social da Ammep, Letícia Cidade Silva ressalta a importância do projeto para as famílias e para evitar perdas durante o período das férias.

“Nosso serviço é de fortalecimento familiar e comunitário. As famílias acreditam muito no trabalho da Ammep e tem total confiança no que a gente propõe e também participam desses momentos. Eles estão sempre muito próximos de todas as ações que a Ammep faz. E essa ideia da piscina, há 7 anos, diminuiu bastante o afastamento dos adolescentes daqui”, salientou.

A coordenadora Fabiane também acrescentou que a oficina de verão beneficia as famílias mais carentes. “O nosso projeto também dá oportunidade de eles terem um espaço de lazer, porque não são todos que têm condições de ir para o litoral ou um balneário.”

Oportunidade para os jovens

Piscinas são um sucesso na instituição
Piscinas são um sucesso na instituição Foto: Diego da Rosa/GES
Quem faz parte da ação também valoriza a oportunidade que ele traz aos educandos. Educador na instituição desde o início do projeto, Lucio Corvalão acompanhou o crescimento da oficina, que foi se tornando a preferida das crianças e adolescentes. “A maioria deles não teria outra oportunidade, nem todos têm piscina em casa." Desde 2015 na Ammep, Kethleen Milena Silva Rodrigues, 15 anos, não tinha piscina em casa e diz que achou muito boa a ideia. “Aqui é o melhor lugar que tem, aqui eu me sinto muito bem. É como se fosse minha segunda casa”.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.