Publicidade
Notícias | Região Distanciamento Controlado

Flexibilização pode vir como bônus na melhora dos indicadores

Amvars propõe faixa intermediária às regiões que demonstrarem avanços na contenção à pandemia

Por João Víctor Torres*
Publicado em: 03.08.2020 às 03:00 Última atualização: 03.08.2020 às 10:45

Nas fachadas, comerciantes avisam que estão trabalhando com nova modalidade Foto: Diego da Rosa/;GES/Diego da Rosa/GES
Ao ver frustrado retorno à bandeira laranja na divulgação prévia da 13ª rodada do modelo de distanciamento controlado, a região de Novo Hamburgo ingressou com recurso frente à classificação de risco alto emitida ao bloco formado por 15 cidades, basicamente todas representadas pela Associação dos Municípios do Vale do Rio dos Sinos (Amvars). Além de buscar o regresso às regras de nível médio, na qual é permitida reabertura do comércio não essencial e de restaurantes, a Amvars apresentou ao Estado proposta para a criação de uma faixa intermediária entre a bandeira vermelha e a laranja, que valeria para todo o Rio Grande do Sul.

Para chegar nesta zona de bonificação mesmo para quem permaneça sob risco alto, as regiões devem ter melhora consistente nos índices, como a de Novo Hamburgo. Afinal, há três semanas a média aferida pelos 11 indicadores do plano de enfrentamento à pandemia tem caído. Ou seja, para ter o benefício não bastaria apenas avançar numa rodada.

Por outro lado, protocolos e regramentos seriam elaborados pelos prefeitos. Só que eles, obrigatoriamente, seriam mais restritivos do que aqueles previstos na bandeira laranja. "Estamos há um mês encaminhando recursos ao governo para buscar essa flexibilização ao comércio não essencial e também aos restaurantes", explica a prefeita de Dois Irmãos e presidente da Amvars, Tânia Terezinha da Silva.

Ou seja, isso não significaria a mudança radical. Porém, representaria "um pequeno abrandamento", como defende a entidade no pedido de reconsideração encaminhado ao governador Eduardo Leite, que na semana passada enalteceu a melhora nos números da região.

Diferenças para a Serra

A ideia é semelhante àquela colocada em prática na Serra no fim de semana, onde também foi criada uma faixa intermediária. Lá, alguns municípios aderiram e em determinados casos esses efeitos foram suspensos pela Justiça, como em Bento Gonçalves e Guaporé. "Em Caxias, o Judiciário antes de se manifestar concedeu três dias para manifestação do prefeito", explica o prefeito de Cotiporã e presidente da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), José Carlos Breda.

A Amvars não quer correr o risco da judicialização e tentará a chancela do Piratini.

Semana importante para o comércio

Um dos fatores que mobiliza a Amvars no pleito a ser analisado hoje pelo Estado está diretamente ligado ao fato que esta semana antecede um momento importante para o comércio, que vem por conta do Dia dos Pais, a ser comemorado no domingo. Conforme o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Novo Hamburgo (CDL-NH), Jorge Stoffel, "historicamente datas comemorativas impulsionam as vendas", sublinha.

"E vender neste momento é o que os lojistas mais precisam para tentar amenizar os prejuízos acumulados depois de tantas semanas na bandeira vermelha", observa o líder da entidade. Além disso, Stoffel classifica que este será "um fôlego muito importante para o comércio local que está sendo massacrado com esses decretos restritivos", complementa. Já a prefeita Fatima Daudt clamou pela flexibilização desses estabelecimentos.

*Colaborou: João Carlos Ávila

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.