Publicidade
Notícias | Novo Hamburgo Reorganização

Pacientes começam a ser transferidos para UPA Centro nesta segunda-feira

Pelo menos nos próximos 30 dias, unidade receberá internações de menor complexidade, liberando espaço para leitos Covid no hospital

Publicado em: 03.08.2020 às 05:00 Última atualização: 03.08.2020 às 07:41

Com a mudança, local deixa de ser porta de entrada para moradores de Novo Hamburgo Foto: INÉZIO MACHADOGES/Inézio Machado/GES

Reportagem: Cristiano Santos e Susi Mello

A Secretaria de Saúde de Novo Hamburgo começa, nesta segunda-feira (3), a transferência de pacientes com menor complexidade de internação do Hospital Municipal para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Centro, no bairro Rio Branco. A mudança faz parte do investimento do Município para ampliar o número de leitos clínicos para Covid-19, anunciado no dia 22 de julho. Com o local deixando de ser porta aberta, a população é orientada a buscar ajuda médica na UPA Canudos ou nas unidades básica e de saúde da família dos bairros.

CONTEÚDO ABERTO | Leia todas as notícias sobre coronavírus

A Secretaria de Saúde garante que não foram investidos recursos extras para a realização das mudanças na UPA Centro, que passou por ajustes internos, sem reformas, utilizando a estrutura já existente. Haverão incrementos de equipamentos de proteção individual (EPIs) e alimentação, mas números não estavam fechados até ontem. Os pacientes serão triados no Hospital Municipal e encaminhados para UPA Centro de forma referenciada, onde serão oferecidos 30 leitos clínicos, num prazo inicial de 30 dias inicialmente, sendo reavaliado a necessidade de ampliar o período.

De acordo com o diretor-presidente da Fundação de Saúde Pública de Novo Hamburgo, Ráfaga Fontoura, as internações serão feitas na UPA Centro a partir desta segunda-feira, conforme a necessidade do serviço. Primeiramente, a unidade receberia infectados pela Covid, mas, segundo Fontoura, uma avaliação técnica apontou que a melhor utilização seria para pacientes de menor complexidade. Na semana passada, o secretário de Saúde, Naasom Luciano, havia informado que a medida buscava manter os internados com coronavírus no hospital, perto da tomografia e do laboratório.

Com essa movimentação, a Prefeitura havia informado que o número de leitos clínicos dedicados exclusivamente para pacientes com Covid-19 serão ampliados em pelo menos 30, além de mais leitos de estabilização, que são semelhantes a leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a partir de hoje.

Ampliação

No final do mês passado, a prefeitura havia informado que entre os preparativos incluem adequações nas disposições dos leitos conforme a canalização de oxigênio, além da instalação de mais camas. Além disso, os atendimentos de leitos psiquiátricos no Hospital Municipal serão transferidos para o Centro de Atenção Psicossocial (Caps), instalado ao lado da UPA Centro, o que permitirá a liberação de mais 11 leitos clínicos no hospital. Com esta ampliação, a estrutura pública de Novo Hamburgo dedicada exclusivamente para a Covid-19 poderá chegar a 120 leitos clínicos, além de oito leitos de estabilização e 25 leitos de UTI.

Atendimento de sintomas gripais

A população com sintomas gripais poderá ir às Unidades Básicas de Saúde (UBSs), às Unidades de Saúde da Família (USFs), à UPA Canudos e à Emergência do Hospital Municipal, onde, após avaliação de um profissional da saúde, sendo constatado contaminação pela Covid-19, será encaminhada para o Centro Covid.

Investimentos em estrutura

O secretário Naasom Luciano lembra que Novo Hamburgo foi o primeiro município do Estado a instalar um Centro de Triagem, que funciona junto ao Hospital Municipal, e a preparar sua equipe de saúde para a pandemia. E ampliou seu número de leitos de UTI exclusivos para o novo coronavírus em mais

de 150%.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.