Botão de Assistente virtual
Informe Editorial EDUCA MAIS

Pesquisa internacional mostra avanço na Educação Básica brasileira

Brasil ficou acima da média da América Latina, mas falhou na educação indígena

Publicado em: 02.12.2021 às 15:35 Última atualização: 02.12.2021 às 15:40

A aprendizagem brasileira registrou avanço nas séries do 4º e do 7º ano do ensino fundamental, obtendo pontuações acima da média de 16 países da América Latina e Caribe, conforme o Estudo Regional Comparativo e Explicativo (Erce) 2019, divulgado nessa semana.

Pesquisa internacional mostra avanço na Educação Básica brasileira
Pesquisa internacional mostra avanço na Educação Básica brasileira Foto: Reprodução

O Brasil aumentou suas notas em todas as áreas avaliadas (leitura, escrita, matemática e ciências naturais), em comparação ao monitoramento anterior, realizado em 2013. A avaliação foi feita em áreas como leitura, escrita e matemática. No caso do 7º ano, também foi avaliada a área de ciências naturais.

Conforme o relatório, o acesso à educação pré-escolar, os dias de estudo semanais, o envolvimento da família e expectativas dos pais contribuíram para os melhores resultados na aprendizagem. Contudo, observou-se a necessidade de aprimorar os mecanismos equitativos que promovam a aprendizagem entre os indígenas.

Em relação ao corpo docente e às práticas associadas aos maiores resultados, a pesquisa identificou que foram fundamentais para esse crescimento o interesse pelo bem-estar dos estudantes, o apoio à aprendizagem do aluno, as expectativas acadêmicas dos professores em relação aos estudantes e a organização e planejamento do ensino.

Segundo Carlos Henríquez, coordenador do Laboratório Latino-americano de Avaliação da Qualidade da Educação (LLECE), que conduziu a pesquisa, “o Brasil tem o desafio urgente de gerar um plano de desenvolvimento do sistema educacional, fortalecer o quadro institucional para dar os próximos passos com a prioridade de avançar em direção a uma educação mais inclusiva e equitativa. Além disso, reconhecer a importância da igualdade de gênero e da diversidade cultural e propiciar oportunidades educacionais para que todas e todos os estudantes contem com as aprendizagens fundamentais para o seu desenvolvimento”.

Sobre a pesquisa

O Estudo Regional Comparativo e Explicativo (Erce) foi feito com 8.871 estudantes brasileiros, sendo 4.522 do 4º ano e 4.349 do 7º. Foram publicados os relatórios nacionais, com informações específicas sobre o desempenho dos estudantes em cada país, e regional, com dados de todos os países participantes e uma perspectiva de análise comparada.

Ao todo, o Erce 2019 avaliou 160 mil alunos de 4º e 7º ano do ensino fundamental ou séries equivalentes em escolas nos países participantes. Foram eles: Argentina, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana e Uruguai.

De acordo com o ministro da Educação Milton Ribeiro, o Erce “revela os avanços e o protagonismo do Brasil na América Latina e Caribe. Os dados mostram que o desempenho de nossos estudantes melhorou em todas as áreas de conhecimento avaliadas e que estamos no caminho certo diante do grande desafio apresentado pela Agenda 2030”.

*Com informações do MEC

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.