Publicidade
Cotidiano Animalescas

Um olhar especial para os animais abandonados

Pesquisa feita por estudante de medicina veterinária analisou os principais tipos de atendimentos do Centro Municipal de Proteção aos Animais

Publicado em: 05.10.2020 às 10:17 Última atualização: 05.10.2020 às 20:34

Com a pesquisa, Bruna traçou um perfil epidemiológico dos cães e gatos recolhidos Foto: Feevale/Divulgação
A estudante Bruna Scherer, do curso de Medicina Veterinária da Universidade Feevale, traçou um perfil epidemiológico dos cães e gatos recolhidos pelo Centro Municipal de Proteção aos Animais (Cempra), de Novo Hamburgo, no período de 2017 a 2019. O trabalho foi realizado em parceria com os médicos veterinários Deisy Cristina Heck, Karen Silveira de Souza e Maicon Faria, do Cempra, e com a médica veterinária Andréia Henzel, professora orientadora.

O estudo lembra que a população de cães e gatos tem aumentado progressivamente. Em 2018 foram contabilizados 54,2 milhões de cães e 23,9 milhões de gatos no Brasil. "Os benefícios que os pets trazem aos seus tutores são amplamente conhecidos. No entanto, práticas como maus-tratos, abuso e abandono geralmente são reportadas e geram punições", afirma Bruna, acrescentando que nesta semana foi sancionada uma lei que aumenta a pena para quem maltratar cães e gatos.

Trabalho será apresentado em programa

A pesquisa resultou em um trabalho científico que será apresentado no Inovamundi 2020, programa de difusão do conhecimento científico e extensionista da Universidade Feevale, que ocorrerá de 17 a 24 de outubro.

O Inovamundi visa estimular a produção, a divulgação e a discussão de conhecimentos científicos, tecnológicos, sociais e de inovação desenvolvidos no contexto universitário e na Educação Básica.

Maioria dos atendimentos é para castração

O Cempra, que está localizado na Estrada do Walahay, 1400, no bairro Lomba Grande, em Novo Hamburgo, recolhe animais não castrados e/ou que apresentam complicações anatômicas, morfológicas, nutricionais e/ou infecciosas. Das 445 solicitações atendidas no ano passado, foram recolhidos 910 animais, já que normalmente mais de um animal é atendido em um único pedido, totalizando 79,1% (720) cães e 20,9 % (190) gatos.

Nos cães, casos de cegueira, claudicação e desidratação foram reportadas em 9,8% das vezes e atropelamento em 9,3%. A solicitação por castração foi a mais frequente, correspondendo a 70,8% das vezes. Foram observados, também, casos de miíases (infestação parasitária), feridas, presença de espinhos de ouriço, prenhes e nódulos, sugestivos de tumor. Ainda houve casos suspeitos de cinomose, parvovirose e leishmaniose. Para gatos, a castração também foi a solicitação mais frequente, totalizando 85,8% dos casos, seguida de claudicações e/ou feridas (11,6%) e atropelamentos (2,6%).

Segundo Bruna, a castração contabilizada pelo Cempra não é suficiente para reduzir as populações de cães e gatos no Município. Além disso, questões orçamentárias para atendimento veterinário, viagens e falta de conhecimento e tempo dos tutores levam ao abandono dos animais.

Abandono sensibiliza profissionais

A professora Andréia Henzel, que trabalha essa temática na disciplina de Bioética do curso de Medicina Veterinária, diz que o abandono de animais sensibiliza os futuros profissionais, pois é contrário aos princípios básicos da bioética. Outros temas, como acumuladores de animais e abuso, e os que envolvem veterinários - comercialização de produtos restritos à área, alteração de produtos alimentícios e negligência - também são abordados, na premissa de formar profissionais éticos associados ao viés técnico, científico, crítico e reflexivo", destaca.

Mais de 1,2 mil pedidos em 2019

A análise da estudante foi entre 2017 e 2019. Foram registrados 737 pedidos em 2017 e 1.300 em 2018. Em 2019, devido à inserção dela no local, foi possível realizar um detalhamento das solicitações. Dos 1.223 pedidos, 36% (445) foram atendidos. Nos demais, o animal possuía tutor ou não foi encontrado.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.