VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

Blog do Thiago Padilha

Duelo político em nome dos animais

.

Daniel Stein Rohr (interino)

 Em um mundo ideal, a relação entre as entidades protetoras dos animais e a Secretaria de Proteção Animal (Sempa), a única da região e uma das poucas do Brasil, seria a melhor possível. Mas não é o que acontece em São Leopoldo. Nesta semana, a protetora Indiane Preuss usou a tribuna da Câmara para dar a sua versão sobre supostos problemas de atendimento da secretaria, acusando o titular Anderson Ribeiro de descaso e perseguição aos críticos. “Ele só se preocupa com o que falam nas redes sociais, e não com o bem-estar dos animais”, atacou a protetora.

“Eles têm um problema pessoal”

 Procurado pela coluna, Ribeiro afirmou que já se reuniu nove vezes com o grupo de protetores. Ele vê as críticas como uma oposição a ele, e não à política pública. “Está claro desde o começo que eles têm um problema pessoal. É um nível bem baixo, com acusações e adjetivos direcionados à pessoa e não à política publica. Não tem perseguição nenhuma”, defendeu-se. O secretário já deu mostras de sua força política no núcleo forte do governo.

Disputa por espaço para os brechós

A mais recente rusga envolvendo as entidades protetoras dos animais e a Sempa ocorreu nesta semana. As entidades se organizavam para promover mais uma edição do brechó mensal, que tradicionalmente ocorre na Rua Conceição, ao lado da esquina com a Rua Independência, mas a Sempa solicitou o mesmo espaço à Prefeitura para realizar o brechó da secretaria. O impasse envolveu, até, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turístico e Tecnológico (Sedettec), e a solução encontrada pelo governo municipal foi ceder, para as entidades protetoras, um espaço na Rua Presidente Roosevelt, entre as ruas Marquês do Herval e a Independência. Mais uma queda de braço vencida por Ribeiro.

DEM de São Leopoldo tem mudanças após suposto desentendimento

Rogério Machado nega que tenha sido exonerado.

Um suposto desentendimento entre o vereador de São Leopoldo Marcelo Buz (DEM) e seu chefe de gabinete Rogério Machado na semana passada, na Câmara de Vereadores de São Leopoldo, teria levado à exoneração do assessor parlamentar no início desta semana. A assessoria da bancada do partido confirmou nesta quinta-feira (26) o desligamento, porém, Rogerinho nega.

“Apenas com o gabinete e equipe temos algumas divergências internas de rumo de campanha, mas não tem exoneração nenhuma”, afirmou, reforçando que na quarta-feira esteve com os colegas no lançamento do livro do deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM) em Porto Alegre. “Estou trabalhando”, frisou. Buz não quis comentar o assunto.

Com a mudança, Vítor Hugo Eggers Werner assumiu a chefia de gabinete no lugar do Rogerinho, enquanto Cleber Asdumiu entrou como assessor parlamentar.

Convenção

O ocorrerá nesta sexta-feira (27), a partir das 8 horas, na Câmara de Porto Alegre, a Convenção Estadual do DEM. A expectativa dos leopoldenses é que seja oficializada a candidatura a deputado estadual de Buz, que é presidente do diretório municipal. Também serão definidos os demais candidatos.

Governo municipal busca recursos em Brasília para obra na Avenida Thomaz Edison

Chefe de gabinete de Vanazzi teve reunião em Brasília.

Chefe de gabinete do prefeito Ary Vanazzi (PT), Ibanês de Oliveira Mariano, cumpriu nesta terça-feira (24) agenda em Brasília para destravar recursos para São Leopoldo. “O foco é o projeto da Avenida Thomaz Edison”, ressaltou, ao se referir a obra que fará a ligação das zonas Norte a Sul a oeste da BR-116 pela via, da Avenida Atalíbio de Rezende até o viaduto da Unisinos, com uma quinta ponte sobre o Rio dos Sinos. Ele se reuniu com o secretário nacional de Articulação Social, Henrique Villa da Costa Ferreira.

“Vanazzi está conseguindo destrinchar um monte de projetos que estavam trancados. O último exemplo foi o da Dom João Becker, no PAC São Miguel”, reforçou Ibanês.


Reprovação de contas ameaça candidatura de Spolaor a deputado

Vereadores de Sapiranga reprovaram por 11 votos a quatro as contas de 2012 do ex-prefeito.

Ex-secretário da Habitação na Prefeitura de São Leopoldo, Nelson Spolaor (PT) teve as contas de 2012, quando estava à frente da prefeitura de Sapiranga, reprovadas por 11 votos a quatro pelos vereadores na noite de terça-feira. Apesar do parecer favorável do Tribunal de Contas do Estado (TCE), a maioria dos parlamentares pelo não atendimento à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O decreto legislativo, que ameaça a candidatura dele a deputado estadual, será encaminhado ao TCE, ao Ministério Público e ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Para o secretário-geral do PT de Sapiranga e um dos coordenadores da pré-campanha de Spolaor, Deoclécio Grippa, “não foi uma decisão técnica, foi política”. "É um problema de perseguição política. Ontem (terça-feira) estavam todos os CCs (cargos em comissão) da prefeitura na Câmara para pressionar", referindo-se ao governo de Corinha Molling (PP). Apesar do resultado, diz que estão "tranquilos e seguros" em relação à candidatura a um assento na Assembleia Legislativa.

O que diz a lei

Pela Lei da Ficha Limpa, Lei Complementar 64/1990, alínea g, do inciso I, do art. 1°, são inelegíveis, para qualquer cargo, "os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente, salvo se esta houver sido suspensa ou anulada pelo Poder Judiciário, para as eleições que se realizarem nos 8 (oito) anos seguintes, contados a partir da data da decisão, aplicando-se o disposto no inciso II do art. 71 da Constituição Federal, a todos os ordenadores de despesa, sem exclusão de mandatários que houverem agido nessa condição."


Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS