Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Motores
Mercado

FCA confirma motores turbo e 25 lançamentos até 2024

Novidades serão possíveis graças ao aporte de R$ 16 bilhões
23/05/2019 14:35 23/05/2019 14:36

-

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: CEO mundial da FCA, Mike Manley

Novos veículos – incluindo SUVs –, motores turbo (que chegam em 2020) e mais empregos. A FCA revelou, nesta quarta-feira (22), que está ampliando para R$ 8,5 bilhões os investimentos programados pela empresa e fornecedores para o Polo de Betim até 2024. Trata-se do maior investimento desde a inauguração da unidade, em 1976. No período de 2018 a 2024, a FCA e fornecedores planejam injetar R$ 16 bilhões no Brasil – o maior do grupo e seus fornecedores no País em todos os tempos.  

O polo automotivo vai receber a mais nova fábrica de motores GSE Turbo da Fiat Chrysler Automobiles no mundo, segundo a decisão anunciada pelo CEO mundial da FCA, Mike Manley, e pelo presidente do grupo para a América Latina, Antonio Filosa. Serão R$ 500 milhões para instalar a nova unidade de motores e para dotar os novos propulsores de capacidade flex, operando simultaneamente com etanol e gasolina. 

Os 25 lançamentos programados até 2024 consistem não apenas em novos modelos, mas também atualizações de veículos em linha e séries especiais. Em Betim, está planejada a produção de três novos carros a partir de 2020. Dois deles marcam a entrada da Fiat no segmento de SUVs, que é o que mais cresce no mercado nacional. “Serão veículos que vão chamar a atenção pelo design, desempenho, tecnologia embarcada e nível de conectividade”, garante Filosa.

Presidente para a América Latina, Antonio Filosa oficializou o anúncio

“A FCA sempre acreditou no Brasil e enxerga com grande otimismo o empenho do governo em aprovar as reformas estruturais tão necessárias para a retomada do crescimento econômico e para a melhoria da competitividade”, afirma Manley. “Os sólidos resultados apresentados pela América Latina nos últimos trimestres, o potencial de crescimento do nosso mercado e, em especial, a versatilidade e alta qualificação da mão-de-obra foram fatores fundamentais para trazer esse investimento ao Brasil, que disputava com outros países a possibilidade de receber a nova fábrica de motores turbo”, acrescenta Filosa.


Capacidade para 100 mil motores turbo por ano

A nova fábrica de motores vai gerar 1,2 mil empregos adicionais, entre FCA e fornecedores, e transformará Betim no maior polo produtor de motores e transmissões da América Latina, com capacidade de produção de 1,3 milhão de unidades por ano a partir de 2020 (data de início da produção dos turbos). A nova unidade partirá com capacidade de produzir 100 mil propulsores turbolimentados por ano, mas já nasce predisposta à expansão da produção. Os novos investimentos ampliam também a capacidade exportadora do Polo Automotivo Fiat, que já tem contratado o embarque de mais de 400 mil motores até 2022. O destino inclui vários mercados, principalmente o europeu.

A nova família de motores turbo a serem produzidos em Betim – os já consagrados mundialmente GSE T3 e T4 e o novíssimo E4, de patente desenvolvida no Brasil, com inovadora tecnologia turbo voltada apenas à combustão de etanol – terá papel fundamental na expansão e diversificação da gama de veículos da FCA na região.

Propulsores de três e quatro cilindros

A nova planta produzirá os motores GSE Turbo de três e quatro cilindros, batizados de T3 e T4, que se destinam a equipar o topo da gama de veículos atual e futura da FCA.

As novidades vêm para completar a família Firefly, lançada mundialmente em 2016 a partir de Betim. O T3 e o T4 têm as mesmas cilindradas dos motores Firefly N3 e N4, mas ganham mais versatilidade e potência graças à sobrealimentação. Segundo a Fiat, foram introduzidas novas tecnologias para garantir desempenho e consumo de combustível alinhados com as expectativas de mercado, já atendendo às normas de emissões que serão adotadas a partir da próxima década.

Suas principais características são:
- Bloco em alumínio com alta rigidez estrutural
- Câmara de combustão com 4 válvulas por cilindro, alinhado com a exigência do sistema turboalimentado;
- Injeção direta de combustível
- Sistema MultiAir de última geração, com controle eletrônico das válvulas de admissão
- Coletor de descarga integrado ao cabeçote
- Sistema de arrefecimento misto água/ar integrado no coletor de admissão para refrigerar o ar aspirado
- Bomba de óleo a cilindrada variável
- Turbo controlado eletronicamente

Os motores a serem produzidos em Betim ganharão ainda mais tecnologia e capacidade flex: serão capazes de queimar etanol e gasolina, separados ou misturados em qualquer proporção, além da compatibilidade de materiais de alguns componentes aos combustíveis latino-americanos, como por exemplo os injetores, válvulas e sedes de válvulas e anéis.

“Todo o trabalho de desenvolvimento desses novos materiais e componentes, bem como a capacidade de trabalhar com etanol e gasolina, já estão em andamento para que os novos propulsores cheguem ao mercado até o final de 2020, equipando modelos da FCA”, explica  o diretor de Powertrain da FCA para a América Latina, Aldo Marangoni.

Com a chegada dos motores GSE Turbo, a FCA passa a ter uma das maiores gamas na América Latina. Em Betim  são produzidos os motores Fire 1.0 flex e 1.4 gasolina e flex, Firefly 1.0 flex e 1.3 gasolina e flex, além danova família GSE Turbo, flex e gasolina. A planta de Campo Largo (PR) vai continuar a produzir o E.torQ 1.6 (gasolina, exportação) e 1.8, nas configurações gasolina e flex.

Turbo E4, a evolução do T4

A Engenharia de Powertrain da FCA na América Latina é uma das maiores especialistas em propulsores flex do mundo. Não se trata apenas de calibragens ou de ajustes em motores importados, mas de toda uma cadeia de engenharia de desenvolvimento.

A chegada dos novos GSE Turbo será a base para acelerar o desenvolvimento de um revolucionário propulsor, por enquanto chamado de E4, que irá elevar os motores a etanol a um outro patamar de aproveitamento energético. Trata-se de um motor concebido para uso otimizado do etanol, baseado na arquitetura do T4. O objetivo é reduzir o gap de consumo do etanol em relação à gasolina, que é de 30% atualmente, para obter um motor de alta eficiência energética e baixo impacto ambiental. A FCA está utilizando tecnologias muito inovadoras nesse projeto, algumas das quais desenvolvidas em Betim.

O emprego do etanol na matriz energética da propulsão é uma vantagem comparativa do Brasil, que conta com tecnologia e condições climáticas para a produção competitiva do etanol a partir da cana-de-açúcar, além de estrutura altamente eficiente de distribuição do combustível.

Jornal VS

Motores

por Adair Santos
abcmotores@gruposinos.com.br

Gasolina na veia - O tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet sempre alardeava que nas suas veias não corria hemoglobina, e sim gasolina. Uma anomalia genética que atinge milhões de pessoas no mundo e, pelo jeito, não tem cura. Jornalista há 15 anos, Adair Santos é um desses anormais que literalmente respiram tudo que diz respeito a veículos. Editor do caderno Motores, que circula semanalmente às quartas-feiras no Jornal NH, Jornal VS e Diário de Canoas, é apaixonado por carros, motos e aviões - ou seja, tudo o que tem motor, exceto a maquininha de obturação do dentista. Motores invade a rede - Os carros recém-lançados, aqueles protótipos bizarros que talvez nunca cheguem às ruas, dicas úteis sobre veículos e testes exclusivos. Além da versão impressa, que circula semanalmente às quartas-feiras no Jornal NH, Jornal VS e Diário de Canoas, agora as notícias sobre veículos contam com este importantíssimo espaço virtual para serem divulgadas. Não deixe de participar mandando sugestões e, quem sabe, até um flagrante fotográfico de um veículo que ainda está em fase de testes e futuramente vai ser fabricado no Brasil. Eu e minha máquina - Se você tem orgulho da sua máquina, seja ela um carro antigo ou novo, motocicleta, um triciclo ou até bicicleta, envie sua foto. Junto, informe seu nome completo e idade, cidade onde reside, telefone para contato, marca, modelo, ano de fabricação do veículo e desde quando tem ele na garagem. Mas atenção: não vale mandar só a foto do carro ou moto, você também tem que aparecer na imagem. Então, mãos à obra: passe uma cera na lataria, um gel no cabelo e faça o registro fotográfico.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS