Publicidade
Opinião

Não existe e não existirá vacina para idiotas

Por Alexandre Aguiar
Publicado em: 22.10.2020 às 19:01 Última atualização: 22.10.2020 às 19:04

O presidente Jair Bolsonaro comunicou na quarta-feira que não comprará a vacina contra o coronavírus que está sendo testada com transferência de tecnologia da China para o Instituto Butantan de São Paulo. Em postagem em suas redes sociais, o mandatário descreveu a “vacina chinesa de Dória” e afirmou que não será feito um aporte bilionário na compra da vacina sem comprovação científica.

A realidade é que o Brasil está sendo liderado por quem coloca suas pretensões eleitorais acima da saúde da população. Se, por hipótese, a única vacina que funcionar for a Coronavac, os brasileiros ficarão sem vacinas porque o presidente não deseja pelo seu ranço com a China e pela vacina no Brasil estar sendo uma bandeira daquele que enxerga como principal opositor na eleição?

Bolsonaro é uma figura lastimável. O mesmo que agora brada a comprovação científica e fala em não gastar bilhões com a vacina de tecnologia chinesa foi quem, por meses, propagandeou a hidroxicloroquina que todos sabem agora não tem nenhum benefício no tratamento da Covid-19 e sequer foi usada pelo seu “amigo” Trump quando foi internado. E, mesmo sem comprovação científica, o governo Bolsonaro torrou dinheiro ao determinar ao Exército que produzisse cloroquina, o que agora está estocado sem uso. Aliás, o estoque é suficiente para mais de uma década e há denúncias de superfaturamento.

Bolsonaro fala em não gastar sem que haja comprovação, mas no inverno deste ano assinou uma medida provisória em que o Brasil gasta centenas de milhões de reais na compra da vacina de Oxford e do laboratório AstraZeneca, ainda em fase de testes, e em negócio de risco sem reembolso se a vacina não funcionar. Ou seja, o seu discurso contra a compra da vacina sem comprovação condena o seu próprio ato.

Nesta quinta-feira, Bolsonaro foi mais longe. Disse que mesmo provada e eficácia da vacina do Butantan não comprará a vacina pela sua desconfiança da China. O presidente brasileiro ignora que 90% dos insumos usados em remédios consumidos no Brasil se originam da Índia e China, sendo uma certeza que alguns dos remédios que usou na sua recuperação após o atentado tinham insumos vindos da China, e que boa parte das vacinas aplicadas hoje no Brasil tem origem chinesa. O Iphone que utiliza para publicar suas vigarices intelectuais na internet é provavelmente fabricado na China.

E se tudo não pode ser pior, segundo apuração do jornal Folha de São Paulo – a “Foice” para a seita –, Bolsonaro decidiu vetar a vacina do Butantã pelo que leu nas redes sociais como se o comentário de um adolescente que mal teve tempo de crescer todos os pelos pubianos tivesse peso maior que a pesquisa científica e a reputação de um dos maiores institutos de vacina do mundo.

Um presidente que coloca interesses eleitorais e suas convicções alienadas acima das vidas de milhões de brasileiros em meio à pior epidemia em um século que já matou 155 mil brasileiros (e contando) é uma aberração política da nossa história e uma figura que os livros históricos saberão definir como o pior líder da história nacional de mais de 500 anos. Uma figura desprezível seguida por uma turba de também alienados e desinformados que se pautam por WhatsApp e Facebook.

Bolsonaro é um escárnio!


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.