Publicidade
Acompanhe:
Opinião Opinião

PSL anuncia nome para disputar a prefeitura de Sapucaia do Sul

Por Thiago Padilha
Última atualização: 13.02.2020 às 07:00

O diretório do Partido Social Liberal (PSL) de Sapucaia do Sul anunciou nesta semana os nomes dos possíveis pré-candidatos para disputar, em outubro, a eleição pela prefeitura. A intenção da executiva municipal é formar uma chapa encabeçada pela advogada Cezalpina Anadon, com o empresário, ex-servidor do INSS e pastor Marcos Calegari como pré-candidato a vice-prefeito. Segundo o presidente do PSL sapucaiense, Neiron Marques, Cezalpina "tem todas as qualificações para o cargo pretendido e é uma mulher de fibra". Além disso, segundo ele, o diretório estadual do partido recebeu bem a indicação dela para representar a sigla nas próximas eleições. Calegari chegou a ser suplente de vereador e concorreu a deputado estadual.

Na contramão da oposição

Ao anunciar pré-candidatura própria para as próximas eleições, o PSL de Sapucaia do Sul vai na contramão da proposta defendida pelo seu deputado estadual Vilmar Lourenço de unidade da oposição. "O PSL não faz mais parte do grupo de oposição. Faço parte do PSL, mas não sou PSL. Eu, como cidadão, continuo apoiando o pré-candidato do grupo", disse Lourenço.

Mudança de partido?

A situação evidencia que Lourenço não está mais tão alinhado ao PSL. Segundo Marques, um grande grupo que seria ligado ao deputado deixou a sigla e hoje está no PRTB. Por assessoria, Lourenço confirma que segue no PSL e está próximo do PTRB, assim como próximo do Aliança do Brasil, partido em formação.

Oposição à prefeitura

O grupo de oposição ao governo do prefeito Luis Rogério Link (sem partido) foi formado em julho de 2019, quando Lourenço, sua esposa, a vereadora Imília de Souza (PTB), e os vereadores Cléber Alemão (Progressistas), Gervásio Santana (Progressistas) e Jorge Barbosa (PSD) fizeram um pacto.

Reflexo de 2016

O nome defendido pelo grupo de oposição é de Volmir Rodrigues, o Gordo do Agendão (Progressitas), que nas eleições de 2016 recebeu 21.514 votos, somando 28,98% dos votos válidos. Link foi eleito com 39,47% e o segundo mais votado foi Marcelo Machado (PSB).

Fora do páreo

Vale lembrar que em agosto do ano passado, o prefeito Link já havia comunicado a base aliada que não vai disputar a reeleição.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.