Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Política

"Lula nunca teve um julgamento justo", afirma Paulo Pimenta

Deputado federal será o próximo presidente do PT no Rio Grande do Sul e afirma que a soltura do ex-presidente é vista pelo partido como um ato de "justiça"

Por João Victor Torres
Última atualização: 08.11.2019 às 21:51

Pimenta afirma que ex-presidente percorrerá o Brasil Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
A decisão da Justiça em libertar, depois de 1 ano e 7 meses preso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mobiliza o cenário político nacional. De acordo com o deputado federal Paulo Pimenta (PT), que no próximo mês assumirá a presidência do Partido dos Trabalhadores no Rio Grande do Sul, o parlamentar confirma que a intenção de Lula é percorrer o País nos próximos meses.

Com relação ao que foi determinado nesta sexta-feira (8), que assegura ao ex-presidente o direito de responder ao processo sobre o caso envolvendo o triplex do Guarujá em liberdade até que tenha o assunto esteja transitado em julgado, o parlamentar considera uma vitória. "Em primeiro lugar, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconhece que Lula passou 580 dias preso de forma irregular", afirmou. "Lula nunca teve um julgamento justo", seguiu. O ex-presidente foi condenado em primeira e segunda instância a 8 anos, 10 meses e 20 dias de prisão. 

De acordo com Pimenta, que fez visitas constantes ao ex-presidente na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba durante o período em que o ex-presidente permaneceu preso, o foco de Lula está na próxima sentença a ser aplicada pela Justiça. "Para o ex-presidente, mais importante do que este julgamento do triplex, o julgamento que realmente importa é o que vai analisar a suspeição do ex-juiz Sergio Moro", adiantou o parlamentar. Além disso, o parlamentar acredita que o STF deverá anular o processo.

Questionado se o PT gaúcho se considera de "alma lavada" com a liberdade de Lula, o deputado federal garante que a sensação é outra. "Nosso sentimento é de justiça e de afirmação da democracia brasileira", complementou Pimenta.

CANDIDATURA EM 2022

Caso a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva consiga fazer com que o petista consiga liberação por parte da Justiça e esteja apto a concorrer, o futuro presidente estadual do PT pretende trabalhar para que Lula seja o candidato petista à Presidência na próxima eleição. "Se ele conseguir recuperar os direitos políticos, vamos atuar para que ele seja nosso candidato", finalizou.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.