Publicidade
Acompanhe:
Notícias | País Minas Gerais

Vale e empresa alemã serão julgadas por tragédia em Brumadinho

Rompimento da barragem que causou 270 mortes

Por AFP
Última atualização: 14.02.2020 às 23:07

Bombeiros retiram corpos após rompimento de barragem em Brumadinho Foto: Mauro Pimentel / AFP
A Justiça brasileira aceitou nesta sexta-feira (14) a denúncia contra 11 funcionários da Vale e outros cinco da empresa alemã TÜV SÜD, acusados de homicídio pelo rompimento da barragem que causou 270 mortes no ano passado no município de Brumadinho.

Entre os acusados estão o ex-presidente da empresa brasileira, Fábio Schvartsman, além de diretores, gerentes, geólogos, engenheiros e consultores da mineradora e da empresa alemã de consultoria de risco, informou Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais em comunicado.

Os 16 funcionários respondem por "homicídio qualificado, crimes contra fauna, flora e crime de poluição".

O Ministério Público afirma que a Vale conhecia os riscos da barragem rompida em Brumadinho.

Após a aceitação da denúncia, inicia-se formalmente o trâmite judicial que determinará se os acusados são culpados ou inocentes.

O juiz recusou o pedido de prisão preventiva do alemão Chris-Peter Meier, gerente-geral da TÜV SÜD Brasil, com residência na Alemanha, que figura entre os denunciados.

O ocorrido em Brumadinho foi a segunda tragédia provocada pela ruptura de uma barragem em menos de quatro anos no País, depois de Mariana, em novembro de 2015, que deixou 19 mortos e provocou o maior desastre ambiental da história.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.